quarta-feira, 4 de abril de 2012

Resenha: “O Closet” traz comédia no ponto certo

Ao contrário de outras produções do gênero atual que acabam se perdendo em exageros, filme francês acerta na medida

Por: Renato César Ribeiro

O cinema francês tem filmes bons e ruins, assim como o americano, o brasileiro e o feito em qualquer outro país. Porém, a produção da França ganhou certo estigma principalmente no público leigo, normal, como a grande maioria das pessoas são e, por isso mesmo, deve ser considerado. Alguns nomes daquele país são bastante valorizados, tanto produções, quanto diretores e atores. Talvez o mais renomado seja Gerard Depardieu.

Esse ator francês é muito conhecido pelo público em geral por suas participações nos filmes de Asterix e Obelix – “Asterix e Obelix contra César” (1999), “Asterix e Obelix: Missão Cleópatra” (2002) e “Asterix nos Jogos Olímpicos” (2008). Mas Depardieu esteve presente ainda em vários outros sucessos, como “O homem da máscara de ferro” (1998), “102 Dálmatas” (2000), “Paris, Eu Te Amo” (2006) e “Piaf, um hino ao amor” (2007).

Nesse “O Closet” (2001), Depardieu também dá o seu toque especial, ao interpretar o coadjuvante Salini. Mas a comédia se destaca muito além do fato de ter Gerard. A sinopse conta que François Pignon (Daniel Auteuil) não vive boa fase. Abandonado pela mulher, rejeitado pelo filho, desprezado pelos colegas, ele ainda tem de encarar a iminência do desemprego. Sua sorte começa a mudar quando, à beira do suicídio, é salvo pelo novo vizinho, um ex-psicológo de empresa que o aconselha a “sair do armário”.

O plano dá certo, seu emprego é garantido, mas a suposta homossexualidade traz conseqüências que provocam situações hilárias. “O Closet” é interessante para se perceber como cada pessoa é vista dentro da empresa, da sociedade e da própria família. Além de como essa situação influencia a todos. Um exemplo é o próprio personagem de Gerard Depardieu, que mostra tendências homofóbicas, mas precisa se adequar à nova situação.

A produção desenvolve-se como uma comédia leve, sem pender para exageros, exatamente no ponto, sem se perder em cenas grotescas como acaba acontecendo no cinema americano.


Ficha:

O CLOSET

Título original: Le Placard
Duração: 84 minutos (1 hora e 24 minutos)
Gênero: Comédia
Direção: Francis Veber
Ano: 2001
País de origem: França

Nenhum comentário:

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...