quinta-feira, 22 de julho de 2010

De Pernas Pro Ar para o Festival de Dança de Joinville


Texto: Renato César Ribeiro
Fotos: Ronaldo Candido

Na noite dessa quarta-feira, 21 de julho, o 28º Festival de Dança de Joinville teve a sua tradicional Noite de Abertura com a apresentação do espetáculo "Pernas Pro Ar" com a interpretação e criação de Cláudia Raia, atriz de renome nacional graças a sucessos tanto em musicais no palco quanto em novelas. Esse musical passou por 14 capitais do Brasil antes de ter a última parada da turnê em Joinville.

Claudia Raia é Helô, uma mulher que vive uma vida sem graça, mas acha que é feliz. Numa noite de febre, ela começa a ter delírios e sua vida começa a virar do avesso. Seu problema é que não tem mais controle sobre suas pernas. Nisso, a protagonista passa por diversas situações. Destaque para a sequência no ônibus. Ela procura várias ajudas para resolver seu problema, com médico, igreja e outros.

Com 51 pessoas na equipe, Claudia Raia criou um espetáculo cheio de música, comédia e passagens interessantes. Destaque também para a pequena orquestra que executa as composições ao vivo. Além disso, um grande atrativo é que os atores cantam na hora mesmo, inclusive a própria Claudia Raia.

Uma frase dita lá pelo meio da comédia/musical é bem sugestiva. Claudia Raia cita que "não consigo controlar as minhas pernas!". Bem, estamos no Festival de Dança de Joinville, então, nada mais plausível do que os bailarinos não conseguirem controlar as pernas (num bom sentido, claro!).



Entre as várias canções executadas, há uma versão em português para "Fever", cuja gravação mais famosa é a de Elvis Presley, mas também ganhou interpretações de Madonna e Beyoncé. Com uma pequena variação de estilos de dança, "Pernas Pro Ar" é essencialmente um musical inspirado na Broadway, mas há algo de sapateado e até dança de rua no meio. Mas é bem pouco.

Em "Pernas Pro Ar", Claudia Raia também não tem medo de brincar com a situação de céu, inferno, Deus, diabo e santos. Mas nada que vá realmente preocupar os mais religiosos. O espetáculo também prega que as pessoas busquem a sua felicidade e é crítico a certos costumes.

Como curiosidade, o próprio Festival de Dança de Joinville foi citado em meio ao espetáculo em uma cena que envolve umbanda. No mesmo momento, Claudia Raia fez uma brincadeira com Fernanda Chamma, que faz parte do Conselho Artístico e que atua na área de musicais e que estava na plateia: "Chama, chama a Fernanda Chamma".



Discursos antes do espetáculo

Marcado para começar às 20 horas, o terceiro sinal avisando que o espetáculo ia começar tocou por volta das 20h15min. Após as propagandas dos patrocinadores, entrou o presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, Ely Diniz da Silva Filho. "Pernas Pro Ar vendeu todos os ingressos para essa apresentação em apenas três horas e muitas das compras foram feitas pela internet", citou.

"Sejam bem vindos ao maior festival de dança do mundo", finalizou Ely em grande estilo. Em seguida, foi a vez do prefeito Carlito Merss dar o seu discurso. Ele homenageou a coreógrafa, bailarina e diretora Rosely Rodrigues, falecida nesse ano de 2010.

Nisso, Merss se perdeu um pouco: "Ela que começou como competidora e agora retorna como convidada... e morreu nesse ano". Na realidade, Carlito queria falar que quem é convidado esse ano é o Grupo Raça, em que Rosely Rodrigues atuava como diretora.

O governador em exercício, desembargador José Trindade dos Santos, também discursou e citou as principais companhias de dança que já passaram pelo palco do Festival de Dança de Joinville, entre eles, o Balé Bolshoi, da Rússia, e o Balé Stuttgart, da Alemanha. Às 20h40min, acabaram-se os discursos e o espetáculo começou.


Agradecimentos pós-espetáculo

Depois de terminada a apresentação e os aplausos finais da plateia lotada do Centreventos Cau Hansen, a atriz Claudia Raia falou por minutos com todos prestando a atenção. Entre outras coisas, ela agradeceu a toda sua equipe e também agradeceu a valorização dos musicais com uma apresentação em um festival específico de dança. Fernanda Chamma e João Wlamir, ambos do Conselho Artístico, subiram ao palco para entregar flores à atriz.

Claudia Raia fez homenagens ao maestro Marconi Araujo, que trabalhou a voz da atriz, ao coreógrafo Alonso Barros e ao diretor Cacá Carvalho. "Agradeço a essas cabeças que pensaram em tudo isso. É muito difícil criar um musical assim, do nada. Esse é um musical brasileiro", fez questão de frisar. O argumento de "Pernas Pro Ar" é de Luis Fernando Veríssimo.

Um comentário:

o mar e a brisa do prazer de aprender disse...

O Veríssimo é primordial para o sucesso. A literatura e a arte uma união perfeita.
Quando será que seremos um país que respeitara o horário??
Discursos??? Não cabe em um festival de renome.Queremos arte, dança, cultura. Abraços

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...