sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

AC/DC – Black Ice


Após oito anos, o AC/DC voltou com tudo. Em seu mais novo álbum de inéditas, intitulado “Black Ice”, 2008, a banda de Angus Young, guitarra; Brian Johnson, vocal; Malcolm Young, bateria; Cliff Williams, baixo; e Phil Rudd, bateria, mostrou que ainda está afiada. A voz de Brian Johnson continua aguda e cortada e os solos de Angus Young, de 53 anos, mostram vitalidade de um jovem.

A melhor música do disco é o primeiro single e a que abre o álbum. “Rock N Roll Train” traz o som característico do AC/DC: bateria seca e marcada, riff cheio de distorção e atitude e a voz rouca do vocalista. Este é o bom e velho rock and roll em um de seus maiores pilares. É claro que não poderia faltar o solo inspirado da guitarra de Angus Young.

O ritmo continua firme em “Skies On Fire”. O AC/DC “ganha o jogo” em sua simplicidade e jeito próprio de fazer rock and roll, que serviu de inspiração para muitos grupos entre eles, os conterrâneos do Jet. Os irmãos Young fazem lembrar um antigo sucesso em “Big Jack”: “The Jack”, de seu segundo disco “T.N.T.”, de 1976.

Em alguns momentos, o novo AC/DC faz lembrar o mais recente álbum do Nazareth, “The Newz”, 2008. Especialmente em “Anything Goes”, em que o ritmo também pode ser comparado a “Born In The U.S.A.”, de Bruce Springsteen. Em outra canção, os australianos compõem com o mesmo nome de um sucesso do Kiss: “War Machine”. Apesar disso, as músicas são bem diferentes. Aqui o refrão datado cantando “war machine” é bem característico do grupo.

O baixo marcado com um riff inspirado compõe “Smash N Grab”. Já “Spoilin’ For A Fight” dá mais ênfase à guitarra enquanto que o baixo de Cliff Williams continua marcando presença. Outro bem trabalhado fraseado do instrumento de seis cordas está em “Wheels”. Percebe-se que o AC/DC está em forma.

Quem gostou deste “Black Ice” deve realmente ter agrado em escutar o novo do Nazareth. Pois no riff de “Decibel”, esses dois dinossauros do rock se aproximam bastante. No vocal do refrão em “Stormy May Day”, Brian Johnson fica parecido a Dan McCaferty, do grupo do disco “The Newz”. Porém a guitarra da mesma música remete a Led Zeppelin.

Em “She Likes Rock N Roll”, o AC/DC fica quase dançante, especialmente na combinação do baixo com a guitarra. O riff de “Money Made” já faz lembrar Deep Purple. “Rock N Roll Dream” é quase uma balada rock crescente também ao estilo do Purple, até o refrão quando a bateria poderia chegar a um The Who se fosse mais trabalhada.

O AC/DC estava inspirado, os compositores criaram 15 boas faixas. “Rocking All The Way” é o máximo que esses australianos podem chegar mais perto do country rock. Para fechar, a música que intitula o álbum “Black Ice”, com uma guitarra suingada e o som característico que não poderia ser outro. Após 35 anos de carreira e mais 50 de idade, o AC/DC deixa muito moleque no chinelo.


Nota 8


Músicas de “Black Ice”

1. Rock N Roll Train
2. Skies On Fire
3. Big Jack
4. Anything Góes
5. War Machine
6. Smash N Grab
7. Spoilin’ For A Fight
8. Wheels
9. Decibel
10. Stormy May Day
11. She Likes Rock N Roll
12. Money Made
13. Rock N Roll Dream
14. Rocking All The Way
15. Black Ice

Confira um vídeo do AC/DC na lista de reprodução do O Caminhante Noturno em http://www.youtube.com/view_play_list?p=2FA324BBE96972A8

Nenhum comentário:

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...