quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Titãs – MTV Ao Vivo

O Brasil também tem seus dinossauros do rock. Considerando as respectivas grandezas de cada banda, os Titãs estão para o Brasil assim como os Rolling Stones estão para o mundo. Não se pode negar que Branco Mello, vocal; Charles Gavin, bateria; Paulo Miklos, vocal e guitarra; Sergio Britto, vocal e teclado; e Tony Belloto, guitarra, formam um dos maiores expoentes artísticos da música brasileira moderna.

Nascida em 1982, com nove integrantes, incluindo Ciro Pessoa, poeta e jornalista; e André Jung, posteriormente baterista do Ira!, a banda conquistou vários sucessos nestes mais de 25 anos. Muitas dessas canções fazem parte deste “MTV Ao Vivo”, que mostra os Titãs ainda com veia rockeira. Há uma preocupação em manter certa agressividade, presente em sua época áurea de “Cabeça Dinossauro”, 1986, e “Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas”, 1987. Apesar do rock, eles não deixam para trás suas baladas românticas conhecidas.

Para mostrar que não estão parados no passado, os Titãs começam este terceiro disco ao vivo de sua carreira com “A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana”, que nomeia o álbum de 2001, seu retorno às composições após quatro anos relembrando antigos sucessos com “Acústico MTV”, 1997; “Volume Dois”, 1998, e “As Dez Mais”, 1999. Em seguida, a banda começa a relembrar os anos 1980 com “AA UU”, do super-elogiado “Cabeça Dinossauro”.

Mesmo com tantos sucessos, os Titãs voltam a mostrar novas músicas como “Vossa Excelência”, um grito contra as tramóias políticas atuais. Paulo Miklos canta em tom de ironia: “Sob pressão da opinião pública / É que não haveremos de tomar nenhuma decisão / Vamos esperar que tudo caia no esquecimento aí então / Faça-se a justiça!”. O refrão é pesado e reflete o sentimento da maioria dos brasileiros “Filho da P...! Bandido! Corrupto! Ladrão!”.

A única canção que persiste do disco de tributos a outros artistas, “As Dez Mais”, é “Aluga-se”, composição de Raul Seixas. Nesta mescla de canções, os Titãs retornam ao seu auge com “Lugar Nenhum”, original de 1987. A primeira canção mais calma deste ao vivo é “Enquanto Houver Sol”, do álbum “Como Estão Vocês?”, 2003. Ponto negativo para o refrão óbvio: “Enquanto houver sol, ainda haverá”. Do mesmo CD, eles tocam também outra romântica: “Provas de Amor”, cujo refrão não é tão fácil de entender: “Não existe o amor, apenas provas de amor”.

Com o rock “Mentiras”, também da gravação de 1987, eles tentam trazer esta veia raivosa da época. Com tons mais sérios, numa espécie de fim de mundo, “Anjo Exterminador” é uma composição de Sergio Britto, responsável pelo vocal da faixa. “Vamos ao Trabalho” representa esta busca pelo som pesado, originalmente do CD de 2001. Imbuídos em manter o clima, eles tocam o clássico “Cabeça Dinossauro”, do álbum homônimo de 1986.

“Não Vou Lutar”, do “Acústico MTV”, é uma bela composição dos Titãs. Esta canção não tem o mesmo punch das outras, mas, em compensação, proporciona toda uma estrutura mais bem trabalhada que as faixas anteriores. Com “Bichos Escrotos”, do “Cabeça Dinossauro, a banda enfatiza a busca pela veia transgressora do final dos anos 1980. Menos inspirada que a maioria das canções deste ao vivo, “Eu Não Sei Fazer Música”, de “Tudo Ao Mesmo Tempo Agora”, 1991, destoa para baixo.

A última inédita do “MTV Ao Vivo”, lançado em 2005, é “O Inferno São Os Outros”, que tem a cara de Branco Mello. Ele não tem a mesma veia raivosa de Paulo Miklos ou Sergio Britto, Mello prefere jogadas sarcásticas. Em seguida, os Titãs tocam mais um clássico pancada: “Polícia”, que já foi gravado até pelo Sepultura, na versão nacional de “Chaos A.D.”, 1993.

Depois de gravar “É Preciso Saber Viver” em seu “Volume Dois”, de 1998, os Titãs voltam a tocar uma canção de Erasmo Carlos e Roberto Carlos ao aceler a clássica “O Portão”. Destoando de seus momentos mais agressivos, Sergio Britto soube compor uma das maiores baladas da música brasileira atual: “Epitáfio”, do álbum de 2001. A mensagem de como levar a vida de “Epitáfio” é muito forte.

No final do show, os Titãs voltam a se dedicar a antigos sucessos. “Flores” faz parte da virada de década, está gravada no disco “Õ Blésq Blom”, de 1989. O clipe tem a cara dos anos 1980 e vale a pena ser conferido. Outra grande canção fecha este ao vivo: “Diversão”, de “Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas”. Este show realizado em Florianópolis é uma interessante amostra de como está esta banda com mais de 25 anos de estrada.


Nota: 8


Músicas de “MTV Ao Vivo Titãs”

01 A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana
02 AA UU
03 Vossa Excelência
04 Aluga-se
05 Lugar Nenhum
06 Enquanto Houver Sol
07 Provas de Amor
08 Mentiras
09 Anjo Exterminador
10 Vamos ao Trabalho
11 Cabeça Dinossauro
12 Não Vou Lutar
13 Bichos Escrotos
14 Eu Não Sei Fazer Música
15 O Inferno São os Outros
16 Polícia
17 O Portão
18 Epitáfio
19 Flores
20 Diversão


Confira o clipe original de “Flores”

Nenhum comentário:

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...