sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Rihanna – Good Girl Gone Bad

Ao contrário de muito CD de cantora pop, o disco “Good Girl Gone Bad”, de Rihanna, apresenta uma variedade de estilos. Lançado em 2007, o álbum traz os sucessos “Shut Up And Drive” e “Hate That I Love You”, com Ne-Yo; isso sem contar o grande responsável pelo alto posto nas paradas alcançado pela artista através da ajudinha de Jay-Z em “Umbrella”. Fofoqueiros de plantão até cogitaram que a participação teria atrapalhado o relacionamento do rapper com Beyoncé.

O que é fato é que agora Rihanna deixou de ser uma cantora praticamente desconhecida do pseudo-hit “SOS” do disco anterior, “A Girl Like Me”, de 2006, que inclusive esteve em trilha sonora de novela global. Agora, a artista, nascida em Barbados, subiu mais um degrau na escada para o sucesso e tem reconhecimento comparável ao trio dos Estados Unidos Destiny’s Child, da onde surgiu Beyoncé.

“Good Girl Gone Bad” começa com sua canção mais famosa: “Umbrella”. Cujo refrão repetindo “Am-ba-re-la ela ela ê ê” ficou ressoando no ouvido de todos que sintonizam as músicas da estação. Na segunda faixa, intitulada “Push Up On Me”, Rihanna apresenta uma batida muito próxima do funk carioca.

Outro grande sucesso de “Good Girl Gone Bad” é “Don’t Stop The Music”. Com certeza, a melhor faixa do CD. Dançante, ela é perfeita para as pistas das baladas. Tudo a ver com sua letra: “Por favor não pare a música”. Essa canção ainda traz citação de “Wanna Be Startin’ Somethin’”, a parte cantada “Ma ma se, ma ma sa/ma ma coo sa", do disco mais vendido de todos os tempos: “Thriller”, de Michael Jackson, 1982.

Em “Breakin’ Dishes”, o som é muito próximo ao pop de Britney Spears na nova fase. O CD “Good Girl Gone Bad” tem até rock, na canção “Shup Up And Drive”, com direito a guitarras bem distorcidas. Claro que não poderia faltar uma balada romântica. No caso, Rihanna canta com Ne-Yo “Hate That I Love You”.

A cantora se aproxima da sonoridade de Destiny’s Child em “Say It”. Uma batida mais para o ragga faz parte de “Sell Me Candy” e “Lemme Get That”. Uma clara influência da região de sua terra natal, o país é Barbados e faz parte do Caribe. Existe até um feriado nacional por lá em homenagem à artista, o Dia da Rihanna, em 21 de fevereiro.

“Rehab”, que não tem nada a ver com o sucesso de Amy Winehouse apesar do mesmo nome, é praticamente um rap. “Question Existing” continua num clima mais “down”. A música que dá nome ao disco, “Good Girl Gone Bad” lembra “Secret”, de Madonna, por causa de sua fusão de violão limpo com batida pop lento.

Neste ano, saiu um relançamento do disco, chamado “Good Girl Gone Bad: Reloaded”, com algumas faixas extras, incluindo “If I Never See You Again”, com a banda Maroon 5, e o novo sucesso “Take A Bow”. “If I Never See You Again” tem uma versão original sem Rihanna no álbum “It Won’t Be Soon Before Long”, de 2007, do grupo dos Estados Unidos.

“Good Girl Gone Bad” também já está disponível em DVD com um show de Rihanna em Manchester, na Inglaterra, gravado em dezembro de 2007.

Um comentário:

Anônimo disse...

nota 6??
quem te pensas??
avaliador de sucessos e que nao es

NOTA 10!

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...