quinta-feira, 10 de abril de 2008

Novos Baianos – Acabou Chorare

Os Novos Baianos eram mais que uma banda de música popular brasileira. Hippies, moravam todos na mesma casa e se mostravam mais como um coletivo de grandes artistas formando uma família. O grupo era composto por Moraes Moreira, vocal e violão; Baby Consuelo, vocal e percussão (que depois mudaria o nome artístico para Baby do Brasil); Pepeu Gomes, violão, guitarra e craviola; Paulinho Boca de Cantor, vocal e pandeiro; Dadi, baixo; Jorginho Gomes, bateria e cavaquinho; Baixinho, bumbo; e Bolacha, bongô. O letrista Luiz Galvão também fazia parte da trupe.

Depois de um primeiro disco psicodélico gravado em São Paulo, “É Ferro na Boneca”, de 1970, o grupo se mudou para o Rio de Janeiro. Naquela cidade, conheceram João Gilberto, que mostrou aos baianos a canção “Brasil Pandeiro”, uma composição de Assis Valente para Carmen Miranda na década de 1940. Com os Novos Baianos, a música voltou a fazer grande sucesso.

O disco foi considerado o número 1 dos cem maiores discos da música brasileira segundo a edição brasileira da revista Rolling Stone, de outubro de 2007. A faixa-título foi fruto de uma história envolvendo a filha de João, Bebel Gilberto. Ela aprendeu a falar espanhol quando morou no México com seus pais. Desde então, passou a misturar o português com a língua estrangeira.

Como era a única filha do grupo, todas as atenções eram voltadas para ela. Uma vez que escorregou, imediatamente todos se preocuparam. Bebel, de pronto, tranquilizou: “Acabou chorare”. A música ficou entre as mais tocadas por 30 semanas consecutivas. Outro sucesso, maior que “Acabou Chorare” é “Preta, Pretinha”. Galvão escreveu esta para uma garota de Niterói (RJ), que o deixou na mão.

O violão de “Brasil Pandeiro” mostra o que a MPB tem de melhor. Este é um verdadeiro clássico da música brasileira. A guitarra distorcida de Pepeu está firme em “Tinindo, Trincando”, cantada por Baby. Numa batida bem brasileira, incluindo até o triângulo do baião nordestino. “Swing de Campo Grande” mostra a voz tranqüila de Paulinho Boca de Cantor, no que se transforma em samba.

“Acabou Chorare” composta por influência da história de Bebel contém diversas onomatopéias: “Acabou chorare. Ficou tudo lindo. De manhã, cedinho. Tudo ca-ca-cá. Na fé-fé-fé. No bu-bu-li-li. No bu-bu-li-lindo”. Como uma canção de ninar bebê.

Mais uma vez, a voz de Boca em meio ao violão e percussão, é o que compõe “Mistério do Planeta”. O vocal leve e bem colocado de Baby se destaca em diversas canções como em “A Menina Dança”. Uma interessante faixa é “Besta É Tu”, o refrão cantado por todos mostra força, enquanto Moraes Moreira costura a música cantando. A instrumental “Um Bilhete Pra Didi” deixa bem claro a sonoridade esfuziante do grupo.

O disco “Acabou Chorare”, de 1973, foi relançado nos anos 2000 graças aos esforços do baterista dos Titãs, Charles Gavin, que tem feito um trabalho de pesquisa para a reedição de clássicos da música brasileira, como já fez com os Secos e Molhados, no final da década de 1990.


Músicas de “Acabou Chorare”

1. Brasil Pandeiro
2. Preta, Pretinha
3. Tinindo, Trincando
4. Swing de Campo Grande
5. Acabou Chorare
6. Mistério do Planeta
7. A Menina Dança
8. Besta É Tu
9. Um Bilhete Pra Didi
10. Preta, Pretinha


Integrantes dos Novos Baianos

Moraes Moreira – vocal e violão
Baby Consuelo – vocal e percussão
Pepeu Gomes – violão, guitarra e craviola
Paulinho Boca de Cantor – vocal e pandeiro
Dadi – baixo
Jorginho Gomes – bateria e cavaquinho
Baixinho – bumbo
Bolacha – bongô

Nenhum comentário:

Destaques

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...